Notícias

Ver todas as notícias

Comer fora de casa fica 8% mais caro no final de 2016, diz pesquisa da ASSERT

Na Mídia - 29.03.17

Avaliar os preços das refeições fora de casa no horário do almoço, de segunda a sexta-feira, em restaurantes e similares que aceitam vouchers/cartões refeição e os fatores que influenciam a escolha pelos alimentos que compõem o prato do trabalhador são objetivos da ASSERT na Pesquisa Preço Médio da Refeição encomendada ao Instituto Datafolha. A iniciativa faz parte das estratégias da ASSERT de atuar a favor dos preceitos do Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT), incentivando a adoção de uma dieta nutritiva e equilibrada pelo trabalhador, oferecendo ao mercado dados que possam balizar as tomadas de decisões por parte das empresas que compõem o sistema de voucher-refeição.

Segundo o levantamento, o preço das refeições fora de casa atingiu a média de R$ 32,94 no país em novembro de 2016. Em 2015, o preço foi de R$ 30,48. Sendo assim, houve um aumento de 8% no bolso do trabalhador.

Trata-se de uma pesquisa quantitativa, de entrevistas pessoais, face a face, com questionário objetivo e estruturado, contemplando 51 municípios, sendo 23 capitais, distribuídos pelas cinco regiões geográficas brasileiras. A coleta dos dados ocorreu entre os dias 11 e 28/11/2016 e envolveu 4.574 entrevistas com proprietários ou responsáveis pelos estabelecimentos. As entrevistas resultaram no levantamento de 5.545 preços, aos quais foi aplicada uma média ponderada considerando os pesos na amostra do município e de cada sistema de refeição: comercial ou prato feito, autosserviço (refeição a quilo/preço fixo), prato executivo e à la carte. Os resultados indicam que o preço médio de uma Refeição Completa no Brasil em 2017 – ano base 2016, ou seja, o prato acrescido de sobremesa/fruta, bebida e café é de R$ 32,94.

 

O benefício refeição oferecido ao seu colaborador está compatível com a realidade do mercado? Confira o relatório da Pesquisa ASSERT Preço Médio Refeição 2017 e aproveite para solicitar-nos uma proposta para ajustarmos o benefício oferecido ao seu colaborador, deixando-o compatível com a realidade do mercado. Sendo associado ao PAT você ainda tem a possibilidade de dedução em até 4% do Imposto de Renda (empresas de lucro real) e a isenção de encargos sociais.

 





Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *